FANDOM


Paulo Leminsky 


quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta minha adolescência

vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência

vou fazer o que meu pai quer
começar a vida com passo perfeito

vou fazer o que minha mãe deseja
aproveitar as oportunidades
de virar um pilar da sociedade
e terminar meu curso de direito

então ver tudo em sã consciência
quando acabar esta adolescência


 


LÁPIDE 1
epitáfio para o corpo

Aqui jaz um grande poeta.
Nada deixou escrito.
Este silêncio, acredito
são suas obras completas.

LÁPIDE 2
epitáfio para a alma

aqui jaz um artista
mestre em disfarces

viver
com a intensidade da arte
levou-o ao infarte

deus tenha pena
dos seus disfarces


Paródia do texto de Paulo Leminsky por Anne Karoline Fernandes de Matos:


Quando eu estiver mais velha

Vou continuar nesta minha adolescência

Pra que largar essa vida louca?


Vou fazer o que quiser:

Dar uma de Phileas Fogg

Ouvir apenas os conselhos que me convier


E então, assim que o tempo passar

De nada irei me culpar

Obtida de "http://pt-br.mouse.wikia.com/wiki/POEMA_7_-_PAULO_LEMINSKY"

_____________________________________________________________________________________________

Paródia do Poema 7 - Paulo Leminsky

Por: Maria Clara Resende

Quando eu tiver setenta anos

Vou estar velho


Vou lembrar na minha vida louca

E viver em eterna nostalgia


Vou querer fazer o que meu pai desejava

Para ter uma vida perfeita


Vou lembrar de minha mãe

Ao procurar o diploma de direito

Que nunca consegui

Por ter vivido de maneira tresloucada


Não vou ter mais minha sã consciência

Por ter acabado minha adolescência

Melhor o texto da paródia ou o parodiado? Léa

___________________________________________________________________________________________

Paródia do poema de Paulo Leminsk.

Por: Iran de O. S. e Freitas


Que maravilha, acabar com a vida que nunca tem fim.

Ai de mim.

Acabar com a vida que se engole pelos butiquins.

Realmente, ai de mim.


Que tristeza, começar uma vida sem sobremesa.

Ai de nós.

Não te darei mais a flor de guarda-napo,

que a fazia sempre sem nenhum pitaco.


Pra quê isso?

Que o curso de direito deslize em solo liso. Muito bacana!!! Léa

___________________________________________________________________________________________


Paródia do poema de Paulo Leminsky

Por: Héricles Ferreira Lima Gonçalves

Quando eu estiver idoso então vai acabar está meu intelecto

vou ficar decrépito e terminar em um abrigo

vou esquecer meu pai e também o resto da minha família

vou esquecer o que minha mae deseja

aproveitarei as oportunidades casarei com uma mulher rica e dar-lhe o golpe do baú

então tudo menos em sã consciência vou falecer e perecer em esta minha velha decadência

Comentário do poema de Paulo Leminsky

é um poema que nos faz refletir sobre o envelhecer, mesmo que meu corpo envelheça, não quer dizer que a minha alma não possa ser nova.

É vero. E o poema ainda revela como muitos vivem sem ser o que gostariam, não é mesmo? Léa

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.